A escolha de sensores para monitoramento de dispositivos em um projeto depende sempre da natureza do evento produzido pelo dispositivo, mas também deve atender às restrições do projeto. Ao fazermos o monitoramento de lâmpadas em um ambiente, doméstico, por exemplo, o custo do projeto não deve ultrapassar a economia produzida pelo dispositivo monitor, considerando que este é pensado para evitar o gasto desnecessário. Existem diversos sensores para se verificar o estado de uma lâmpada. Podemos utilizar sensores de corrente elétrica para ver se a lâmpada está sendo alimentada, sensores de temperatura, para verificar se a lâmpada está acesa e até sensores de luminosidade. É precisa levar em conta o tipo de lâmpada que você vai utilizar. Lâmpadas incandescentes (daquelas antigas) quando queimam, rompem o filamento, e não permitem a passagem da corrente elétrica. As lâmpadas atuais são diferentes, possuem um circuito eletrônico, e, pode acontecer que, mesmo que elas não estejam funcionando como deveriam, continuem consumindo energia. Nesses casos, verificar a corrente passando no fio que alimenta a lâmpada vai indicar um evento falso. Um dos sensores mais básicos para isso é o sensor de luminosidade LDR, que nada mais é do que um resistor que varia seu valor de resistência à corrrente de acordo com a quantidade de luz que recebe. São muito baratos e simples de utilizar, e podem fornecer a resposta  necessária para o monitoramento.  Projetos mais complexos podem necessitar da combinação de mais de um sensor. Vamos pensar na criação de uma chocadeira controlada por Arduino e que utiliza lâmpadas incandescentes de filamento para produzir calor. A temperatura nesse ambiente deve ser controlada rigorosamente, assim como a umidade. O ideal aqui seria monitorar a lâmpada, para verificar o seu estado e ainda ter uma lâmpada reserva que deve ser acionada caso esta primeira queimar. Sensores de luminosidade, corrente, umidade do ar e temperatura, devem ter seus estados verificados e o resultado a ser interpretado vem a ser uma combinação dos estados dos diversos sensores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nome *